terça-feira, 23 de outubro de 2007

Walking over thin ice

Porque mudamos?
Porque é que aquilo que num dia é certo e garantido, no dia seguinte, já faz parte do passado? O que mudou em nós entretanto, fazendo-nos mudar assim tão repentinamente? O que foi que se quebrou?
É como se um dia fossemos dormir e quando acordássemos, todo o nosso mundo tivesse mudado. Tudo aquilo que conhecíamos e queríamos desaparecesse, se alterasse de alguma forma... deixássemos de ver as coisas da mesma maneira, deixássemos de nos sentir como sentíamos ao fazê-las... e porquê?
Aquilo em que acreditávamos piamente num dia, no dia seguinte constatamos que não passava de um engano... que afinal não era bem assim. Sentimo-nos como se nos andássemos a enganar a nós próprios. Pensamos: "Como é possível ter-me enganado tanto em relação a isto?".
Os nossos gostos mudam, as nossas vontades mudam, a nossa percepção das coisas muda e, consequentemente, a nossa interpretação das mesmas, a nossa cor do cabelo muda, nós mudamos...

Será que a vida é feita de mudanças?
E a estabilidade, onde se encaixa?

Esta nossa inconstância magoa...
Magoa aqueles de quem mais gostamos e que mais gostam de nós...
E que podemos fazer?
Nada, não há nada que possamos fazer, a não ser pedir desculpa e esperar que quem gosta de nós, nos saiba compreender e esperar pela bonança...

10 comentários:

ana disse...

..............

Luz do amanhecer disse...

Matchbox30
Escreveste um texo que podia ter sido eu a escrever cada linha, identifico-me perfeitamente...

ana disse...

Muitas vezes as coisas mudam, porque têm que mudar, faz parte do nosso destino.
Há que assumir a mudança e as pessoas que gostam de nós só têm que aceitar a mudança, mesmo que lhes afecte muito, pois quem gosta realmente, gosta incondicionalmente.

Cata disse...

olha olha... qué que eu ando a perder, já não sei nada de ti, mas cá me cheira que andas aí em revoluções...
A mudança, por muito que nos afecte e magoe outros, é sempre necessária. Doutro modo não saberíamos apreciar a estabilidade. E esperamos sempre que seja pelo melhor...

Matchbox30 disse...

Luz do amanhecer: eu sei, pelo que tenho visto no teu blog, já tinha reparado. Estamos em sintonia.

Ana: Desculpa...

Cata: O problema é que eu não sei se quero, ou não mudar...

su disse...

As mudanças têm os dois lados que a vida tem: coisas boas e coisas más...temos de saber contornar e adoptar o que nos "veste" melhor. Estamos nós em primeiro para nos "vestir" melhor...e assim que estivermos bem connosco mesmos de certeza que as coisas com as pessoas que estão ao nosso redor vão ficar melhor ainda!

:)

Matchbox30 disse...

Eu sei su... e quando não se está bem porque não se quer magoar alguém? Se tiveres alguma solução, por favor, diz-me...

su disse...

Não há soluções assim...o tempo (apesar de frase feita) é de facto a melhor cura. A vida tem de tudo...as agruras dela são inevitáveis também.
Acima de tudo, temos de cuidar de nós mesmos. Para saber cuidar dos outros depois. Não vale a pena usarmos uma máscara de combatentes, fingindo que tudo está bem, para cuidar das dores dos outros e deixar morrer o Eu Interior. Isso tem nome: suicídio. É mais honesto cuidar de nós mesmos para depois saber cuidar dos outros. Não é uma questão de consciência mas de lucidez e de honestidade.

Matchbox30 disse...

Muito, muito obrigado su... a sério!

Cold_cold_Bitch disse...

Já dizia o poeta: "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades."
Quanto à estabilidade, ela está dentro de nós, em conseguirmos atravessar as mudanças internas e externas com muita confiança.