quinta-feira, 21 de junho de 2007

O efeito mula

É assombroso o número de pessoas que sofrem desta doença. Este fenómeno consiste em ter uma espécie de palas imaginárias (daí a mula) ao lado dos olhos, impedindo assim, um ângulo de visão mais vasto, permitindo apenas ver em frente, o que torna a visão destas pessoas bastante limitada.
Um dos principais problemas desta doença, prende-se com o facto de quem dela sofre, não se aperceber que a contraiu nem, quando confrontado com a realidade, o admitir. Por isso, baseado num rigoroso e exaustivo estudo científico realizado pela minha pessoa, passo a enumerar e exemplificar os sintomas para que os estimados leitores possam, mais fácilmente, fazer um correcto diagnóstico deste flagelo, bem como, identificar quem dele padece (este palavreado todo é só para dar mais credibilidade à coisa):
  • Estacionamento nas grandes superfícies- Neste caso, são os proprietários daqueles automóveis que vemos estacionados em fila dupla e/ou fora dos lugares marcados, apenas para ficar em frente à porta da superfície comercial quando, se parassem na parte lateral, ficavam bem estacionados e bastante mais próximos da referida entrada;
  • Tardes de Domingo- São aqueles que vão, vestidos com o tal fatinho de treino, aos domingos à tarde, enfiar-se nos centros comerciais, a encalhar uns nos outros (porque aquilo está apinhado de clones), a irritarem-se com tudo e com todos, a ralhar com os filhos (que são do mais mal educado que pode haver) porque não param de mexer em tudo o que vêm. Quando, podiam simplesmente, ir passear por um dos inúmeros locais de extraordinária beleza que este país, felizmente, dispõe e respirar um pouco de ar puro para ver se o Tico e o Teco acordam da dormência a que estão sujeitos!;
  • Férias de Verão- Neste caso, encontram-se aqueles que vão de férias para o "Allgarve" (quase todos)- é patético. Ir para o Algarve é uma coisa, agora irem todos para o mesmo sítio do Algarve... por amor à Santa! Estendem a toalha na praia e deitam-se em cima do vizinho do 3º esquerdo. Depois da praia têm que ir a correr para a casa alugada (que custou o subsídio de férias todo), para tomarem banho a correr para conseguirem mesa no restaurante. Deitam-se às tantas porque têm que ir para a discoteca andar com os pés no ar e cheirar o "sovacum" uns dos outros. De manhã, têm que se levantar cedíssimo para conseguirem lugar na praia. E ainda, têm que voltar a correr para casa antes do fim das férias porque já rebentaram com o dinheirinho todo e ficam a pão e água até receber. Obviamente, quando regressam ao trabalho, voltam mais cansados e mais stressados do que quando partiram... PORTUGAL TEM CERCA DE 500 KM DE PRAIAS E NENHUMA DAS MAIS BONITAS É NO ALGARVE!!!! (excepto algumas mas não digo quais nem onde são! Tansos!)

Vão todos para o mesmo sítio, vão ovelhinhas, vão, vão...meeeeh, meeeeh, meeeeh.... Enquanto vocês lá estão, mais à vontade eu fico!

Não é assim tão difícil, pois não? Agora, já conseguem identificar e ver a dimensão deste fenómeno? Aposto que já conseguiram identificar alguém que padece dessa doença...

1 comentários:

Vanadis disse...

Olha lá, olha lá, não fales mal do meu allgarve que as allgarvias não têm culpa que venha tudo cá parar.

Pois é, Portugal tem extensões e extenções de praia, mas nenhuma é como as do algarve, toma-te!! Aguinha caliente não encontras em mais lado nenhum...

;-p

Viva a Praia! No Algarve, claro. :-D