sexta-feira, 6 de julho de 2007

Desilusões...

De desilusões, estou eu farto...
As pessoas desiludem-me...
A vida desilude-me...
O governo desilude-me...
O trabalho desilude-me...
O país desilude-me...
O mundo desilude-me...
Eu desiludo-me...
O amor desilude-me...
É uma desilusão completa...
Há um remédio para as desilusões, chama-se "estar a cagar para tudo e para todos" mas, para mal dos meus pecados, como já deu para notar, não tenho feitio para isso.
Por isso, o melhor a fazer será habituar-me às desilusões e não estranhar quando elas acontecerem.
A desilusão dói, deixa um buraco aberto no peito... e leva uma eternidade a sarar... quando isso acontece, maravilha das maravilhas! Apanhamos mais uma desilusão e volta tudo à estaca zero...
Alguém me explica porque é que há pessoas que gostam de nos dar a entender certas coisas ou sentimentos que, mais tarde, se vêm a revelar falsos?
Aconteceu-me recentemente e, se disser que estou com raiva dessa pessoa, é mentira! Estou sim, e muito, desiludido com ela.
"- Percebeste mal. Vais ver que nos vamos dar muito melhor como amigos!"- disse ela.
"- Nhã, nhã, nhã... blá, blá, blá, blá, blá!"- pensei eu.
(Eu sei, é criancice mas digam lá, se não é só o que apetece dizer?)
"Vamos dar muito melhor como amigos"... vamos, vamos, vai lá passar as tuas fériazinhas à Madeira que quando voltares, logo vês se o otário ainda aqui está para te aparar os golpesinhos todos...
"- Ai, vamos aqui. Ai, vamos ali." E eu vou.
E tu, vais à Madeira mas não é comigo?
Esquece. Não vai haver amizade para ninguém depois de ires à Madeira! Porque nem tu, nem ninguém me volta a usar! Ninguém!
Azarito, temos pena! Tanto me dá que fiques ofendida, como não... se ficares, melhor!

6 comentários:

Vanadis disse...

Estive a espreitar o teu mapa...parece que tens leitor@s nos países nórdicos, no meio dos EUA, algures no Brasil (ou será que aquilo já é espanholitos latinos?)...ina pai!!!

Quanto às desilusões...fazem parte da vida. Vão existir sempre e sempre. Cabe-nos a nós deixar que nos afectem ou não. Eu tb me deixo ir abaixo, mas já não é tanto como antes. Fazem a primeira, já não fazem a segunda!

Continuo a ser defensora do adágio: antes só que mal acompanhado. Quer ir à Madeira? Pois que vá! E tu, vai à tua vida. Há mais peixas no mar. Há muitas janelas e portas para abrir. Há muitas peixas para amar e serem amadas, tu é que ainda não as pescaste.

Isto é só uma opinião pragmática, óbvio. :-)

Matchbox30 disse...

Obrigado! é verdade, tenho fãs nos países nórdicos! Espero que sejam gajas! LOL!!!!
Isto foi dedicado àquela pessoa com quem eu estava na praia no Domingo...
Eu sei que há mais peixas e calha bem que eu sou aquário, lol!
Mas eu não ando a dormir... só tenho pena é de há uns anos ter deixado uma pessoa que gostava de mim, aí em Faro, por ela...
Talvez não seja tarde...

Vanadis disse...

Nunca digas nunca. Mais vale tarde do que nunca. E às vezes o amor e a paixão não são tudo. Quer dizer, eu tenho uma opinião muito vincada sobre amor e paixão. Para mim são cenas completamente diferentes. O primeiro é um conjunto imenso de sentimentos (que pode ou não incluir paixão, mas claro que convém que inclua!). A segunda é, pura e simplesmente, um conjunto de hormonas aos pulos.
Sabias que o corpo humano não está desenhado para estar apaixonado por mais do que um ano?...daí que a paixão acabe por desaparecer, para dar lugar ao amor (se já existir amor). E apartir daí, aparecem momentos de paixão.
É preciso saber distinguir bem as coisas. Vale a pena lutar pelo amor. Mas, honestamente, não vale a pena lutar pela paixão...quer dizer, em determinados aspectos, tu entendes-me.
Também acho que o amor é bilateral. Tem de vir dos dois lados. Os dois lados têm de estar disponíveis para amar (fez-me lembrar o filme...lol, por acaso tenho a banda sonora). Senão, o conjunto de sentimentos não está completo.
Mas há amor no ar! Há peixas por aí com muito amor para dar e receber e com vidas menos complicadas.
Não quer, não quer. Vira a página e fecha o livro. Passa à frente e não te prejudiques mais. :-)
Eu sei que falar é fácil para quem está de fora. Mas precisamente por estar de fora vejo as coisas com maior objectividade e frieza.

Ana disse...

A desilusão começa em nós e existe quando vivemos na expectativa de receber sempre algo em troca. Quando fazemos as coisas com amor puro não ficamos desiludidos, aceitamos as coisas de maneira diferente e tiramos sempre a parte positiva mesmo do pior que nos acontece.
Temos que aprender com os erros e seguir em frente de cabeça erguida.

Matchbox30 disse...

Sim, vanadis, compreendo o que queres dizer...;-o

Matchbox30 disse...

Obrigado ana! Sei que também sou responsável por algumas...